quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

O Esplendor do Caos

“A pedagogia do consumidor de imagens em mais nada consistiria do que em aceitar o desafio e descobrir no que nos fascina uma autêntica mensagem libertadora, uma palavra que preserve a parte de silêncio necessária à respiração da existência humana e contra a qual o rolo compressor das imagens planetárias seria impotente, ou é, no fundo, impotente. Em última análise essa pedagogia consistiria em recuperar o silêncio do tempo antes da televisão, apagar simplesmente a famosa caixa mágica. Simbolicamente ou praticamente. Sem remorso” (p. 40)

in Eduardo Lourenço, 1998
O Esplendor do Caos. Gradiva: Lisboa

Nenhum comentário:

Postar um comentário