sexta-feira, 25 de junho de 2010

Bibliografia de cinema e educação

Marialva Monteiro, fundadora do Cineduc, preparou uma seleção de livros fundamentais para quem quer saber mais sobre cinema e educação. Reproduzimos aqui suas sugestões e comentários e sugerimos o blog Cineduc para quem estuda a relação cinema e educação!

Dos Meios às Mediações – Barbero, Jesus-Martin – Editora UFRJ, Rio de Janeiro, 1997 Comentário: Conheci os textos do Barbero nas entrevistas que deu na revista da FASE. Finalmente chegou seu livro ao Brasil. Ele é fundamental porque fala das mediações, e do receptor latino-americano. Não trata só de comunicação, mas de antropologia, sociologia, política e sociologia.

Infância, Cinema e Sociedade – Amorim Garcia, Claudia e outros (Coleção Escola de Professores) - Ravil, Rio de Janeiro, 1997
Comentário: é um livro interessante porque reúne professores e cineastas. Traz o resumo de um ciclo de debates sobre alguns filmes e questões da infância e adolescência.

A Imagem – Aumont, Jacques – Ed. Papirus, Campinas, S. Paulo, 1993
Comentário: o livro trata de questões bastante importantes, como a relação do espectador com a imagem, como a imagem representa o mundo real, etc.

Linguagem Total, uma pedagogia dos meios de comunicação – Gutierrez, Francisco – Summus Editorial, São Paulo, 1978
Comentário: este é um livro mais antigo, porém fundamental, pois foi Gutierrez quem primeiro entendeu que os métodos tradicionais de ensino não atendiam às formas massificantes e atraentes oferecidas pelos meios de comunicação.

Os Exercícios do Ver – Barbero, Jesus-Martin e Rey, German – Editora SENAC, São Paulo, 2001 Comentário: Trata da questão audiovisual em relação à televisão. É a análise de um fenômeno social e cultural importante no Brasil feita por dois grandes teóricos da comunicação na América Latina.

Sintaxe da Linguagem Visual – Dondis, Doris A. – Ed. Martins Fontes – 1999
Comentário: o livro fala que assim como a imprensa trouxe a necessidade de alfabetização, os meios de reprodução visual trazem a necessidade de uma alfabetização visual.

Pré cinema e Pós Cinemas Hereges – Machado, Arlindo – Papirus Editora, 1997
Comentário: as origens do cinema e do desejo de registrar o movimento.

Sobre Educação (Diálogos) - vol. 2 – Freire, Paulo e Guimarães, Sérgio –Ed. Paz e Terra, Rio de Janeiro, 1984
Comentário: é um livro gostoso de ler porque usa a forma de diálogo. Paulo Freire e Sergio Guimarães discutem assuntos importantes da educação, inclusive o uso dos meios de comunicação na sala de aula.

Modos de Ver – Berger, John –Livraria Martins Fontes, Ed. Ltda. São Paulo, 1987
Comentário: gosto muito deste livro. Frase do livro que sempre repito: “A vista chega antes das palavras. A criança olha e vê antes de falar”. Não é só cinema, é sobre a percepção visual em geral.

Novas Tecnologias e Educação – Kawamura, Lili - Novas Tecnologias e Educação – Ed. Ática, São Paulo, 1990
Comentário: é um livro pequeno (79 páginas), mas resume algumas políticas governamentais de educação diante da industria cultural que na realidade não funcionam.

Imagem – Cognição, Semiótica, Mídia – Santaella, Lucia e Winfried, Nöth - Ed. Iluminuras, São Paulo, 1997
Comentário: é um livro mais difícil. Mas vale para aprofundar algumas questões.

A Imagem no Ensino da Arte – Barbosa, Ana Mãe – Ed. Perspectiva – São Paulo, 1994
Comentário: é sempre bom ler o que a Ana Mae escreve. Ela não trata do cinema, mas da arte em geral. Sua metodologia triangular para leitura da obra de arte deve ser conhecida por todos os professores.

Televisão e Educação – Ferrés, Joan – Ed. Artes Médicas, Porto Alegre, 1996
Vídeo e Educação – Ferrés, Joan – Ed. Artes Médicas, Porto Alegre, 1996
Comentário: dois livros fundamentais. Ferrés escreve de maneira simples e levanta questões válidas. Sugere atividades práticas para quem trabalha com vídeo e televisão na sala de aula.

Como ver Televisão – Moran, José Manuel –Ed Paulinas, 1991
Comentário: não é um livro teórico. Traz alguns exercícios práticos que podem ajudar o professor que trabalha com os meios de comunicação.

Cinema e Educação vol 1 e 2 – Azzi, Riolando –Ed Paulinas, 1996
Comentário: é uma orientação para o uso de alguns filmes já disponíveis em vídeo. Tem de tudo: desde filmes bem comerciais como Alien, o oitavo passageiro até filmes mais “cabeça” como Lanternas Vermelhas. Parece que já saiu o 3º volume.

Tela Total, Mito – Ironias da Era do Virtual e da Imagem – Baudrillard, Jean - Ed. Sulina, Porto Alegre, 1997
Comentário: coletânea de textos publicados pelo autor em jornal sobre questões importantes ligadas ao mundo moderno e à comunicação de massa.

Cinema & Educação – Duarte, Rosália –Ed. Autêntica, Belo Horizonte, 2002.
Comentário: O livro é voltado para quem trabalha com educação audiovisual. Trata da questão do espectador como sujeito, sua leitura etc. Dá dicas para o uso do filme na sala de aula.

A Era da Comunicação – Babin, Pierre - Ed. Paulinas, São Paulo, 1989
Comentário: Pierre Babin é um padre que há muito tempo mantém cursos para quem se preocupa com os meios de comunicação e valores humanos.

Máquina e Imaginário – Machado, Arlindo – Ed. da Universidade de São Paulo (Edusp), São Paulo, 1996
Arlindo Machado fala de produção de arte e novas tecnologias. Isto significa uma decadência da arte? Para ele, não. E explica: o problema é a questão da liberdade na sociedade informatizada.


O Quarto Iconoclasmo e Outros Ensaios Hereges – Machado, Arlindo – Ed. Rios Ambiciosos/Contra Capa, Rio de Janeiro, 2001
Comentário: o livro levanta a questão de que de tempos em tempos retorna o surto do horror às imagens. Continuamos sempre com o privilégio da palavra. Pensar as imagens como um objeto complexo e pouco conhecido e estudado.

A Escola vai ao Cinema – Castro Teixeira, Inês Assunção e Miguel Lopes, José de Souza (org.) –Ed. Autêntica – Belo Horizonte, 2003
Comentário: São vários autores, cada um tecendo comentários sobre um filme. Alguns filmes discutidos: Bicho de sete cabeças (Brasil), O Jarro (Irã), Filhos do Paraíso (Irã), Central do Brasil (Brasil), Nenhum a menos (China), O Carteiro e o poeta (Itália), Adeus meninos (França) etc.

Como usar o Cinema na Sala de Aula – Napolitano, Marcos – Editora Contexto – São Paulo, 2003
Comentário: Coloca o cinema como um aprendizado, porém pouco toca nas questões específicas da linguagem cinematográfica. No entanto o livro vale pela quantidade de filmes citados e as informações que fornece sobre cada filme.

A Prática do Cinema na Favela: para uma compreensão maior da realidade - Monteiro, Marialva – em Comunicação e Classes subalternas - Cortez Editora, São Paulo, 1980
Comentário: relato de uma experiência realizada pela equipe da instituição CINEDUC – Cinema e Educação numa favela do Rio de Janeiro, utilizando a linguagem cinematográfica.

Filme e Subjetividade – Luz, Rogério – Ed. Contracapa – Rio de janeiro, 2002.
Comentário: a experiência estética e a questão do sujeito no mundo moderno. A imagem e o seu papel na constituição do sujeito. A arte como escrita.

Literatura, Cinema e Televisão – Pellegrini, Tânia e outros – Editora SENAC e Itaú Cultural, São Paulo, 2003

Literatura e Cinema – Johnson, Randal – T. A. Queiroz, Editor, São Paulo, 1982
Comentário: livro fundamental para o estudo da adaptação cinematográfica e as relações entre cinema e literatura. O estudo é preferentemente sobre o filme Macunaíma de Joaquim Pedro de Andrade e o livro de Mario de Andrade.

Linguagem Audiovisual e Educação: um (de)bate papo plausível - Monteiro, José Renato e Paula, Vera de – Revista Cinemais nº 19 - set/out de 1999
Comentário: em forma de diálogo a Educação e o Audiovisual conversam questões importantes relacionadas ao ensino e a formação do espectador.

Introdução à Teoria do Cinema – Stam, Robert – Papirus Editora, Campinas, S. Paulo, 2003
Comentário: oferece uma abrangente teoria do cinema no século XX. Também contextualiza a teoria do cinema no universo das grandes correntes histórico-filosóficas.

Obras Escolhidas: Magia e Técnica, Arte e Política – Benjamim, Walter –Editora Brasiliense, S. Paulo, 1985
Comentário: Ler preferentemente os capítulos: A Obra de Arte na Era da Reprodutibilidade Técnica e Pequena História da Fotografia - O primeiro é um dos capítulos mais citados por inúmeros autores e mais utilizado nos cursos de cinema e comunicação. Benjamim via a reprodução das obras de arte através das cópias como um processo de democratização, benéfico ao conhecimento.

A Máquina de Visão – Virilio, Paul – Ed. José Olympio, Rio de Janeiro, 1994
Comentário: a “máquina de visão” é o nosso olho ou a câmera? É disto que trata o livro. Paul Virilio é muito citado pelos teóricos de nossa era da informática.

A Imagem – Movimento – Deleuze, Gilles – Editora Brasiliense, S. Paulo, 1990.
A Imagem – Tempo – Deleuze, Gilles – Editora Brasiliense, S. Paulo, 1990Comentário: livros fundamentais para o entendimento dos conceitos de espaço e tempo no cinema. Todas as suas idéias são ilustradas com exemplos concretos citados de filmes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário