quinta-feira, 1 de julho de 2010

Alfabetização midiática é tema do UN Alliance of Civilizations Forum

Os temas da alfabetização midiática e da educomunicação estiveram presentes no Fórum da Aliança das Civilizações, promovido pelas Nações Unidas, no Rio de Janeiro, entre 27 e 29 de maio último. Com a presença do Secretário Geral da ONU, do presidente da Assembléia Geral do mesmo organismo, do Presidente Lula , líderes políticos de mais de 80 países discutiram a realidade representada pelo “confronto” entre civilizações, que, em última análise, impede que o esforço das Nações Unidas em torno da paz e do progresso humano alcance resultados concretos. O evento priorizou debater projetos específicos nas áreas da juventude, educação, mídia e migração.

Na área da mídia foram promovidos dois painéis, um reunindo jornalistas de diferentes países em distintas situações de conflito civilizatório e outro, pesquisadores e promotores de programas na educação para a mídia, discutindo os impactos sociais da alfabetização midiática.

O tema da educomunicação foi abordado pelo do Prof. Ismar de Oliveira Soares, coordenador do NCE-USP, que mostrou como os esforços de professores, alunos e membros das comunidades educativas, promovidos em redes de ensino, em decorrência de políticas públicas, conseguiram reduzir conflitos e criar ecossistemas comunicativos abertos e criativos mediante o emprego dos recursos da informação, como o vídeo, o rádio e a internet. O professor lembrou a importância das pequenas ONGs que trabalham com mídia e educação, criando referenciais que podem ser sistematizados e socializados. Lembrou, contudo, que no Brasil, não mais do que 50 mil adolescentes são assistidos por estas ONGs, sabendo-se que existem ao redor de 42 milhões deles nas escolas públicas esperando pelo mesmo direito de ter acesso à prática educomunicativa.

No evento, além das palestras, os participantes tiveram acesso à apresentação de propostas elaboradas por jovens de várias partes do mundo, tendo como objetivo eliminar as fronteiras que separam as fronteiras civilizatórias, na busca de maior espaço para a expressão e a convivência das culturas.

Na declaração final, a UNESCO foi valorizada como órgão da ONU que vem trabalhando com maior intensidade para superar os entraves postos à convivência humana em nome da diferenças civilizatórias. O Coordenador de Comunicação de Comunicação da UNESCO no Brasil, Guilherme Canela, informou que o organismo apóia no país a transformação da educomunicação em política pública.

Fonte: Educomunicador Online - www.usp.br/nce/?wcp=/novidades/informe,7,1284

Nenhum comentário:

Postar um comentário