quarta-feira, 28 de julho de 2010

Educomunicação é o mais novo curso da USP

Considerado como o curso do futuro ele permitirá que o profissional atue nos meios de Comunicação, em questões ambientais, na divulgação científica, no terceiro setor, em órgãos públicos e em escolas.

A partir do dia 27 de agosto até o dia 10 de setembro, visando o ingresso na Universidade de São Paulo (USP), os vestibulandos terão mais uma opção de curso na Fuvest. O novo curso é a licenciatura em Educomunicação, que será ministrado na Escola de Comunicações e Artes (ECA) e terá oferta de 30 vagas, todas no período noturno, com duração de quatro anos.

O curso de licenciatura em Educomunicação abre um campo diferenciado para o profissional da Comunicação e já é considerado por especialistas como a profissão da contemporaneidade para atuação no mercado midiático (envolvendo Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Relações Públicas , Internet e as áreas de Rádio e Televisão) no Terceiro Setor (ONGs), no campo da Educação e nos órgãos públicos.

Desde que comunicadores e educadores passaram a entender que por detrás do primeiro aspecto de entretenimento dos elementos midiáticos existiam também construções importantes de cidadania, aprendizados, informação e formação, a Comunicação passou a ser um bem cobiçado por muitos. No entanto, como usá-la enquanto ferramenta de ensino e aprendizado e a sua sistematização se tornou um grande desafio que vem sendo pensado nas últimas décadas.

É nesse processo que surge o profissional da Educomunicação. Trata-se de um profissional multimidiático e gestor, pois agrega os conhecimentos de diferentes agentes tais como jornalistas, publicitários, relações públicas, cineastas e outros. Ao mesmo tempo é multifacético, pois o educomunicador também está apto para atuar no ambiente escolar, envolvendo desde os ensinos fundamental e médio até o curso superior.

Por conhecer as teorias e práticas da educação, os modelos e os procedimentos que envolvem o mundo da produção midiática e das tecnologias, o educomunicador é em sua natureza gestor de processos comunicacionais.

Os órgãos públicos de diferentes áreas tais como secretarias de Educação, Cultura e Meio Ambiente, dentre tantas outras; as instituições de ensino fundamental, médio e superior; o terceiro setor (Organizações Não-governamentais) e os meios de comunicação, principalmente os que têm uma preocupação educativa, serão os campos de trabalho desse novo profissional.

Fonte: Blog Educomunicação USP

Nenhum comentário:

Postar um comentário