terça-feira, 17 de agosto de 2010

Jovens na mira da propaganda

Publicamos abaixo texto do iG Educação sobre cartilha do Procon São Paulo voltada a jovens. O tema é consumo e propaganda. Vale a pena ler e refletir. O link para a cartilha você encontra ao final do texto.

Já percebeu que as empresas começam a assediá-lo, a cadastrar seu e-mail quando você faz alguma compra ou se interessa por algum serviço? Depois, mantêm contato oferecendo promoções, cartões da loja e anunciando as novidades? É isso mesmo. Os jovens são cada vez mais importantes para o mercado de consumo.

Embora, ainda, dependentes financeiramente dos pais, mesmo sem talão de cheque e cartão de crédito, esse grupo representa um nicho de consumo de grande interesse para o mercado. A estratégia é garantir desde cedo a fidelidade das novas gerações aos produtos e serviços das empresas. Daí, todo uma propaganda voltada para essa turma que está com hábitos de consumo em formação.

Os bancos são os mais presentes e insistentes na corrida para conquistar os futuros clientes. Nas universidades, o assédio é grande, com muitos estandes a cada semestre, oferecendo conta corrente e cartão de crédito sem comprovação de renda e com isenção de taxas.

Tantas condescendências, somadas à sedução das ofertas, à facilidade das compras pela internet, à falta de uma educação financeira e ao desconhecimento das regras que defendem o consumidor, têm contribuído para o crescimento da inadimplência entre jovens de 15 a 30 anos.

Tudo isso é resultado do estímulo ao consumo. Consumir pode ser bastante agradável, mas tem seu lado perverso, seja com a natureza, com o próprio bolso, com as relações sociais (quando se torna fator de inclusão ou exclusão social), ou com as implicações financeiras consequentes do descontrole do orçamento.

Por isso, a Fundação Procon -SP decidiu lançar o “Manual do jovem consumidor”, abordando assuntos do cotidiano de adolescentes e jovens, como tatuagens, compras on-line, saídas noturnas, etc . As orientações dessa “cartilha” pretendem preparar essa turma para enfrentar de forma mais crítica as armadilhas do consumismo.

Não se trata de uma publicação para ser consumida de uma só vez, mas de um manual para consultar no dia a dia. A linguagem é simples, a apresentação agradável e as informações muito interessantes, garanto! O endereço para download está no final da matéria, mas veja uma pequena amostra do tipo de dicas.

Um aperitivo das dicas
Compras pela Internet: se a compra for feita pela internet, pelo telefone ou por outra forma, que não na loja, você tem o direito de se arrepender, isto porque não teve contato direto com o produto e ao vê-lo pode descobrir que não é o que queria. Nesses casos, cabe o “direito de arrependimento” da compra. Para isto, deve-se entrar em contato com o fornecedor no prazo máximo de 7 (sete) dias, a contar do recebimento do produto, e pedir o cancelamento da compra e devolução do que já foi pago. O produto deve ser devolvido e o pedido de cancelamento formalizado por escrito, acompanhado de um comprovante que atesta que o fornecedor recebeu a solicitação dentro do prazo (por exemplo, uma carta enviada pelo correio com Aviso de Recebimento - A.R., onde o que vale é o dia da postagem, ou um recibo assinado pelo fornecedor, etc). O direito de arrependimento vale, também, para contratação de serviços.


Sem juros? Saiba que, embora seja comum o anúncio de venda de produtos com o preço parcelado em algumas vezes sem juros, isto não existe de verdade. Os juros estão lá. O que acontece é que o vendedor do produto calcula o preço já com juros, e divide em algumas vezes, dizendo que a parcela é sem juros. Por isto, ao comprar à vista, insista para obter um “desconto”. O vendedor não é obrigado a dar o desconto, mas se ele quiser mesmo fazer a venda, pode ceder aos seus apelos, tirar os juros que estavam “escondidos” nas parcelas, e vender por um preço à vista, menor do que o anunciado.

Promoções: fique esperto e não se perca fazendo compras desnecessárias, só porque achou uma ótima oportunidade. As oportunidades realmente acontecem quando você já havia planejado a compra e acaba encontrando uma boa oferta. E tem mais: tome cuidado! Produtos oferecidos em promoções podem apresentar pequenos defeitos ou mesmo estar danificados. Observe bem o produto, teste quando for o caso e, se notar que há, de fato, um pequeno defeito, e, ainda assim, valer a pena comprar, solicite que este defeito seja especificado na nota fiscal pois mesmo comprando em promoção seus direitos permanecem garantidos.

Tem muito mais pra você saber. Além das compras, fala de você como consumidor na escola, nos momentos de diversão, cuidando da saúde e da relação com o planeta. Ao todo são 48 páginas bastante instrutivas.

Para saber mais: Manual do Jovem Consumidor

Fonte: www.igeduca.com.br/artigos/papo-serio/jovens-na-mira-da-propaganda.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário