terça-feira, 21 de setembro de 2010

Em dez anos, programa forma 3 mil jovens para atuar na comunidade

O Programa Aprendiz Comgás (PAC), que prevê estimular adolescentes de São Paulo a desenvolverem projetos comunitários, formou 2974 jovens entre os anos 2000 – quando foi criado – e 2009. Com os participantes de 2010, o número de formados ultrapassa três mil. Nesse período, os jovens implantaram cerca de 700 projetos.

Ao adotar a participação e a mobilização social como mecanismos de exercício da cidadania, o programa propõe que cada grupo de adolescentes planeje projetos de ação social responsável. Direcionado para quem tem entre 14 e 18 anos, o PAC pretende estimular o adolescente a atuar em sua comunidade como protagonista. O programa trabalha com a chamada tecnologia social Aprendiz Comgás. O método propõe que os jovens sejam idealizadores, coordenadores e executores dos projetos. A ideia é demonstrar que as mudanças devem começar pela atuação local. Com foco nos temas saúde, meio-ambiente, cidadania e comunicação, eles participam de atividades que englobam educação e trabalho.

A turma de 2010 terá seus projetos finalizados em dezembro. Os trabalhos desenvolvidos são variados: a revitalização do espaço de uma escola, incluindo a manutenção de uma horta, a criação de um blog para divulgar o que está acontecendo no bairro, e até ensinar capoeira, construindo os instrumentos musicais do jogo com materiais recicláveis. Os jovens escolhem qual será a temática de seus projetos.

“Temos ferramentas tanto para que ele pense sobre um problema da comunidade, quanto para que possa elaborar um projeto de solução. Há processos de fortalecimento do grupo, para que o jovem possa falar, colocar sua ideia e trocar informações”, explica a gestora do PAC, Ivy Moreira. “Trabalhamos com a articulação do que chamamos de ativo da comunidade, o jovem aprende a olhar possíveis parceiros, e como chegar nele para desenvolver ações”.

Além de articulação de parcerias, os participantes do PAC trabalham conceitos de mobilização social, captação de recursos e passam por oficinas específicas. A formação conta com a supervisão de uma equipe de educadores na condução das atividades.De acordo com Ivy, o elemento central do programa é o estímulo da autonomia. “De forma crescente, estamos sempre estimulando o jovem a acreditar que ele é capaz. Ele não está acostumado a ter autonomia e lidar com isso”, diz. “No início, sente-se meio travado, mas apostamos fichas nele e não há problemas em esperar que corresponda”.

O PAC também atua na formação de professores. O foco do trabalho é apresentar aos educadores maneiras de estimular os adolescentes a agirem em prol da comunidade. Até o final de 2010, 60 professores serão formados.

Atuando no programa desde 2006, Ivy ressalta que o momento atual do PAC é de transição. Para ela, já está claro que o método utilizado funciona. A partir dos resultados obtidos, os próximos passos serão de reestruturação.O PAC, uma parceria entre a Comgás e a ONG Cidade Escola Aprendiz, vai selecionar jovens para a 17ª turma em outubro. Os aprovados para as 40 vagas participarão do programa em 2011. Podem se inscrever jovens de 14 a 18 anos, estudantes do ensino médio ou técnico, que queiram elaborar projetos sociais em benefício de sua escola, rua ou bairro.

Para mais informações sobre o PAC, escreva para pac@aprendiz.org.br
Fonte: Portal Aprendiz/ Texto: Desirèe Luíse

Nenhum comentário:

Postar um comentário