terça-feira, 5 de abril de 2011

Brasil fica em 31º lugar entre 44 países em domínio de inglês

O Brasil ocupa a 31ª posição, entre 44 países, em termos de proficiência (habilidade) em inglês entre adultos. É o que diz o EF English Proficiency Index (EPI), primeiro índice que compara a habilidade em inglês de adultos de diversos países, divulgado pela instituição internacional Education First (EF).

Elaborado com base em testes de inglês feitos por 2 milhões de pessoas adultas na faixa etária de 16 a 30 anos, no período de 2007 a 2009, o EF EPI mostra que os quatro países que compõem o chamado grupo do Bric (Brasil, Rússia, Índia e China) têm desempenho similar, com classificações próximas no ranking. A China ocupa o 29º lugar em habilidade em inglês de adultos, Índia o 30º e Rússia o 32º.

O índice destaca, porém, que entre os países da América Latina, a posição do Brasil foi melhor, superando inclusive o Chile e a Venezuela. A Argentina, embora não apareça no infográfico de notas oferecido pela organização, está bem a frente, em 16º lugar. De acordo com a pesquisa, o Brasil ficou na 6ª colocação no continente.

O vice-presidente da EF Englishtown para a Europa e Américas, Julio De Angeli, informou que o Brasil “não está bem posicionado. É considerado um país com uma baixa habilidade em inglês, mas que pode melhorar”.

De Angeli avaliou que na América Latina como um todo, a classificação dos países foi ruim pelo fato de o idioma espanhol ser usado na região para o comércio, a diplomacia e em viagens. “As regiões que dividem um idioma comum não ajudam no desenvolvimento do inglês”, disse.

Outro ponto destacado pela pesquisa é a correlação positiva entre inclusão escolar e o nível de inglês dos diversos países. “Aqueles países que conseguem ter mais crianças e jovens na escola por mais tempo têm uma correlação mais positiva”. Afirmou que o Brasil cresceu muito entre 1985 e 2001 em nível de escolarização.

Os primeiros lugares do ranking em habilidade no idioma inglês entre adultos são ocupados pela Noruega, Holanda, Dinamarca e Suécia. A Argentina, classificada na 16ª posição, tem uma habilidade considerada moderada. Já a Tailândia, Turquia e Cazaquistão detêm as últimas posições, ocupando respectivamente o 42º, 43º e 44º lugares.

Veja o ranking:

1 Noruega - Proficiência muito alta
2 Holanda - Proficiência muito alta
3 Dinamarca - Proficiência muito alta
4 Suécia - Proficiência muito alta
5 Finlândia - Proficiência muito alta
6 Áustria - Proficiência alta
7 Bélgica - Proficiência alta
8 Alemanha - Proficiência alta
9 Malásia - Proficiência alta
10 Polônia - Proficiência moderada
11 Suíça - Proficiência moderada
12 Hong Kong - Proficiência moderada
13 Coreia do Sul - Proficiência moderada
14 Japão - Proficiência moderada
15 Portugal - Proficiência moderada
16 Argentina - Proficiência moderada
17 França - Proficiência moderada
18 México - Proficiência moderada
19 República Tcheca - Proficiência moderada
20 Hungria - Proficiência moderada
21 Eslováquia - Proficiência moderada
22 Costa Rica - Proficiência baixa
23 Itália - Proficiência baixa
24 Espanha - Proficiência baixa
25 Taiwan - Proficiência baixa
26 Arábia Saudita - Proficiência baixa
27 Guatemala - Proficiência baixa
28 El Salvador - Proficiência baixa
29 China - Proficiência baixa
30 Índia - Proficiência baixa
31 Brasil - Proficiência baixa
32 Rússia - Proficiência baixa
33 Rep. Dominicana - muito baixa
34 Indonésia - muito baixa
35 Peru - muito baixa
36 Chile - muito baixa
37 Equador - muito baixa
38 Venezuela - muito baixa
39 Vietnã - muito baixa
40 Panamá - muito baixa
41 Colômbia - muito baixa
42 Tailândia - muito baixa
43 Turquia - muito baixa
44 Cazaquistão - muito baixa

Fonte: Portal IG 01/04/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário