segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Manual de Educomunicação

O texto é antigo, de 2006, mas vale a pena ler o Manual de Educomunicação preparado para a II Conferência Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente que aconteceu em Luziânia/GO, de 23 a 28 de abril de 2006. 




EDUCOMUNICAÇÃO
Com a presença cada vez maior dos meios de comunicação social de massa nas nossas casas, foi possível compreender que a formação das pessoas não é mais uma tarefa exclusiva da família e da escola, tampouco de pais e professores.  


O rádio e a televisão, em especial, influenciam muito na maneira que pensamos, sentimos e nos comportamos. Podemos afirmar até que esses dois meios de comunicação funcionam como uma espécie de escola paralela, porque ensinam o  tempo todo, para toda população, as coisas que “precisamos” querer comprar, o que “devemos” considerar bonito ou feio, o sotaque que “devemos” adotar, a quem “devemos” admirar ou rejeitar, influenciando assim as opiniões que “convém” termos sobre este ou aquele assunto. 


Ou seja: a Comunicação tem uma relação muito forte e direta com a Educação. As relações entre essas duas ciências  vêm sendo chamadas de Educomunicação, um campo novo do conhecimento, bastante singular. 


A escola é um dos tantos espaços em que a Educomunicação pode acontecer. Os professores podem, por exemplo: promover atividades de -  leitura crítica -  que tenham como objetivo esclarecer como os meios de comunicação distorcem os fatos, para atender aos interesses de alguns grupos. Podem também oferecer condições para que, além de aprender a ler textos midiáticos, os alunos aprendam a produzir suas próprias mensagens. 


Como então, a partir desses exemplos, entender o que é educomunicação? 
Leia em: http://www.cdcc.sc.usp.br/CESCAR/Atualizacao/10.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário