quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Quem manda lá em casa? As crianças


Pesquisa divulgada esta semana pela Viacom International Media Networks, distribuidora do canal Nickelodeon no Brasil, ratifica uma rotina de muitas famílias: na hora das compras, a opinião dos filhos tem caráter decisivo. Os resultados fazem parte do estudo O poder da influência da criança nas decisões de compra da família, realizado em 11 países – Brasil, México, Canadá, Alemanha, Holanda, Reino Unido, Bélgica, Espanha, Polônia, Austrália e Coréia do Sul. Foram ouvidas 15.600 pessoas, crianças de 9 a 14 anos e pais e mães com filhos de 6 a 14 anos.

Segundo a pesquisa, compreender a dinâmica no que diz respeito à tomada de decisão é a chave para desenvolver um orçamento familiar ideal. De acordo com os dados, pais e filhos têm atualmente uma relação mais estreita: 79% dos pais dizem que são mais próximos dos filhos do que seus pais e 83% declararam ser um dos melhores amigos dos seus filhos.
“As famílias mudaram para um modelo menos hierárquico, onde todos têm algo a dizer. No modelo familiar antigo, havia certa ditadura contra as atitudes democráticas familiares. Além disso, os filhos, em sua maioria, estavam sob controle. Os pais tentavam compreender os filhos, enquanto hoje, eles os compreendem genuinamente”, aponta Adriana Pascale, gerente de pesquisa do canal Nickelodeon, da Viacom.

A maioria dos pais e filhos divide muitas atividades em conjunto, como assistir a programas de TV. É o que declararam 99% dos pais e 98% dos filhos. 89% dos filhos e 90% dos pais dizem que navegam com seus filhos na internet, tornando esta a segunda atividade mais compartilhada. Há uma diferença na percepção de pais e filhos quando questionados sobre leitura de revistas. 91% dos pais afirmam ler com os filhos contra 83% dos filhos.

É comum que os filhos se interessem mais por produtos quando os pais estão assistindo TV. Isso é o que aponta 83% dos pais. Eles costumam querer comprar mais quando seus pais estão por perto. Isso pode ter uma  explicação: na maioria das vezes, os pais pedem a opinião dos filhos sobre produtos a serem comprados, principalmente aos filhos mais velhos. 74% dos pais costumam pedir opinião aos filhos mais velhos, enquanto que 53% consultam os filhos menores para os produtos destinados a eles.

A opinião das crianças é seriamente considerada pelos pais mesmo quando o produto não se destina a elas. É o caso da compra de automóveis. 60% das crianças declararam que a sua opinião é levada em consideração por seus pais. A principal razão, de acordo com a pesquisa, para considerar a opinião dos filhos com seriedade é a oportunidade de ensiná-los que a opinião deles é importante. E isso pode ser notado nas categorias abordadas no estudo.

Em regra, as decisões familiares são tomadas de forma colaborativa entre pais e filhos. 51% dos pais declaram que tomam a decisão final, mas sempre ouvindo a opinião dos filhos. 49% afirmam decidir juntos. Os pais também revelam que há uma grande influência dos filhos nas decisões dos lugares onde a família costuma ir. 66% das decisões são feitas de forma colaborativa quando o assunto é cinema para toda a família. 49% dos pais escolhem os restaurantes com os filhos.

Os filhos confiam na internet e na TV para buscar informações sobre produtos e marcas. 82% das crianças declararam a internet como a principal fonte de pesquisa, seguida dos comercias de TV, com 70%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário