terça-feira, 14 de agosto de 2012

Jornalistas querem mais capacitação digital, aponta pesquisa da Knight Foundation


Imagem da capa do estudo 'Digital Training Comes of Age'

Christina Lima 
O impacto positivo do treinamento é claro, a necessidade de capacitação digital é evidente, mas apesar de os jornalistas estarem ávidos por formação web, a maioria dos comunicadores entrevistados pela pesquisa 'Digital Training Comes of Age', elaborada pela Knight Foundation, diz que as suas organizações de notícias ainda não estão muito dispostas a fornecer esse tipo de educação.

"Descobrimos que os jornalistas que estão tentando se adaptar ao novo ambiente digital estão mais interessados do que nunca em treinamento", disse Michele McLellan, coautora do estudo que consultou 660 profissionais de comunicação, ex-alunos da Fundação. "É um novo momento para o treinamento nas redações. Espero que façamos direito dessa vez."

O relatório conclui que a era digital representa um recomeço para a indústria de notícias - historicamente lenta no fornecimento de desenvolvimento profissional a seus funcionários. No passado, o custo de formação de qualidade representou um obstáculo que os executivos de comunicação ainda não superaram.

A boa notícia, de acordo com o relatório, é que o botão de 'reset' nunca foi tão fácil de apertar. A era digital tornou mais simples do que nunca para jornalistas modernos ensinarem seus colegas. Ao colocar em nossas mãos todo o conhecimento humano, a internet permitiu as melhores formas de compartilhar e usar esse conhecimento.

Ao perguntar que tipo de treinamento os jornalistas querem, a pesquisa descobriu que ferramentas e técnicas digitais estão no topo da lista. Tecnologia, 78%; Multimídia, 77% e Habilidade de análise de dados, 75%.


As principais conclusões do documento

O desenvolvimento profissional tem impacto. Esse esforço ajuda jornalistas a aprender as habilidades multimídia necessárias para criar formas envolventes de contar histórias. A capacitação fornece habilidades necessárias para iniciar novos empreendimentos da imprensa local e ensina aos professores universitários a ter maior fluência digital, necessária para poder repassar as mais recentes e melhores práticas.

Há uma demanda crescente de formação para jornalistas adaptarem-se à evolução dos ecossistemas de mídia do século 21. Repórteres e editores querem mais treinamento em ferramentas digitais, tais como análise de dados de multimídia e tecnologia. A maioria dos consultados se mostrou insatisfeita com as iniciativas de seus empregadores no quesito oportunidades de formação.

Aulas on-line estão ganhando popularidade como uma maneira menos custosa de treinamento. Um terço dos jornalistas norte-americanos e 8 em cada 10 jornalistas internacionais dizem que as aulas on-line foram tão boas quanto, ou ainda melhores, do que o treinamento convencional em sala de aula.

As organizações que fornecem treinamento estão se adaptando à era digital; e passaram a oferecer formação on-line repensando como os seus programas podem promover uma transformação do jornalismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário