segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Educomunicadores: Mário Kaplún

Por Profº Fábio Neponuceno


Inicio série que divide e completa o paper / artigo O Educomunicador depois de Kaplún, apresentado no IV Encontro Brasileiro de Educomunicação. Aguardo críticas, comentários e sugestões. Quem vocês conhecem que são ou parecem ser educomunicadores?
Inspirado em Celéstin Freinet e Paulo Freire (que aparecerão aqui em próximos posts) e pensando a partir da prática de jornalismo comunitário de sua época, o professor, jornalista e radialista Mario Kaplún (1923-1998) escreveu sobre um novo tipo de comunicação educativa. E ele chamou os atores sociais que a praticam de educomunicadores.
O termo “educomunicadores” aparece sem destaque no livro Una Pedagogia de La Comunicación (1998, p. 88 e outras). Mas esse livro é uma atualização de El Comunicador Popular (1985). Em ambos, Kaplún descreve essa personagem (o /a educomunicador@) detalhando sua atuação, mas no livro mais antigo ele é chamado apenas de “facilitador”. Nenhum dos livros de Kaplún foi editado em português, mas o Coletivo de Comunicadores Populares está traduzindo O Comunicador Popular: fato bem de acordo com o tipo de iniciativa que Kaplún tinha e incentivava, de acesso ao conhecimento.
Claro está que Kaplún não inventou o educomunicador. Talvez tenha inventado o neologismo. A rigor, Freinet já era um. Mas o próprio Kaplún era um educomunicador e, nas duas obras citadas, explica a prática que ele viu  e ajudou a construir.
O melhor texto que encontrei na rede sobre Kaplún esta disponível neste link:
E no youtube há este vídeo com depoimento do mestre sobre as novas tecnologias:

Nenhum comentário:

Postar um comentário