segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

XIII Congreso Internacional IBERCOM: Comunicación, cultura y esferas de poder acontece em maio de 2013 e tem Educomunicação como um dos temas

Nos dias 29 a 31 de maio de 2013, na Universidade de Santiago de Compostela acontece o XIII Congresso Internacional Ibercom - Comunicacíon, Cultura e Esferas de Poder. Para enviar artigos o limite é 15 de janeiro. Veja mais informações abaixo e no site: http://www.estudosaudiovisuais.org/lusofonia

IBERCOM.jpg






Objetivos do congresso
As implicações entre os agentes da comunicação, a pesquisa e a transferência social de resultados no âmbito da formação, para a solução de problemas ou como iniciativas novas, nos leva à necessidade de estabelecer uma sorte de estado geral dos objetos contemporâneos de pesquisa, das experiências de trabalho em andamento que ainda não contam com sua própria tradição e de certas tendências no pensamento comunicacional contemporâneo.
O exercício do saber como forma de poder, a reconfiguração da esfera pública como lugar para a diferença, a interculturalidade e a construção da igualdade constituem-se nos objetivos para este encontro de pesquisadores e pesquisadoras da ampla geografia ibero-americana.
Santiago de Compostela, a cidade-símbolo da viagem como transformação, é referência nos estudos americanistas, e a Faculdade de Ciências da Comunicação, sede do Congresso, acolheu, entre outros eventos, o II Congresso Ibero-americano de Jornalismo Digital (2003), VII Congresso Lusocom (2006), o Congresso fundacional da AEIC (2008) ou o Encontro Real-Code, Comunicação e Desenvolvimento (2011).
Ademais, o Departamento de Ciências da Comunicação da Universidade de Santiago tem acumulada uma longa experiência na organização de cursos de doutoramento com universidades ibero-americanas, como com a Universidade Nacional de Tamaulias (México) ou a Técnica Particular de Loja. Do mesmo modo, na Universidade de Santiago está situado o Centro Interdisciplinário de Estudos Americanistas “Gumersindo Busto”, também com uma grande trajetória de pesquisa sobre as relações com a Ibero-América.
A celebração do IBERCOM 2013 na Galícia, organizado pela AGACOM, além de proporcionar uma maior visibilidade à pesquisa em Comunicação na Galícia e de materializar o encontro entre acadêmicos, pesquisadoras e pesquisadores, vai criar condições para a cooperação entre âmbitos disciplinares, universidades e países diferentes convocados em torno da Comunicação, cultura e esferas do poder.

Divisões Temáticas Ibercom (DTIs)
Políticas culturais, tecnologias e esferas do poder (DTI 1)
Coordenação: Francisco  Sierra (U. de Sevilla), Luis Humberto Marcos (ISMAI-Instituto Universitario-Portugal), Enrique Sánchez (U. de Guadalajara-México), Eliseo Colón (U. de Puerto Rico)
- O papel das tecnologias e das novas experiências na democratização do espaço midiático, dos seus usos sociais, e do direito à apropriação deste espaço para diferentes práticas de comunicação e de expressão em conjunção com a configuração de novas esferas participativas.
- Rumo à definição de um novo mapa das relações entre instâncias plurais de planejamento cultural e o direito à comunicação: acessibilidade e diversidade como aspectos constituintes.
- Novos modelos comunicacionais e a construção de contornos-rede como parte da esfera pública.
- Aspectos regulamentares: governança e modalidades de autoria.
Estruturas e suportes de comunicação: produção, consumo e recepção (DTI 2)
Coordenação:  Xosé Videla (UdC), Francisco Campos (USC), Isabel Ferin Cunha (U. Coimbra- Portugal), João Freire  (UFRJ – Brasil)
- Estudo da criatividade, desenho, inovação e planejamento para a produção e gestão de conteúdos jornalísticos nos meios impressos, audiovisuais, digitais, redes sociais e outras formas de comunicação relacionadas com os mesmos.
- Condições organizativas e profissionais da atividade jornalística e das outras formas de comunicação.
- Critérios e sistemas de qualidade, de regulação, co-regulação, auto-regulação, responsabilidade social e propriedade intelectual relacionados com os âmbitos profissionais e empresariais da informação e a comunicação.
- Técnicas e formas de ideação, criação, inovação, produção, relação, mediação, interação e circulação da informação e a comunicação.
- Tendências, estratégias e técnicas de promoção e comercialização de produtos, bens e serviços de informação e comunicação.
- Transformações do mercado da comunicação e efeitos da crise na estrutura empresarial dos meios.
- Evolução das estruturas e modelos de negócio dos meios tradicionais e das novas formas e agentes (micro-meios, infomediários e plataformas) da cadeia de valor da produção, intermediação e distribuição dos conteúdos.
- Convergência de conteúdos e plataformas. O consumo multimídia. Produtos transmídia e cross media. O estudo das audiências aplicadas aos meios tradicionais e novas mídias.
- A comunicação de mobilidade e através das redes sociais virtuais.
- As novas tendências e formas de recepção, de consumo, de interação e participação de usuários e audiências.
Comunicação estratégica, organizacional e publicitária (DTI 3)
Coordenação: Margarida Maria Krohling Kunsch (USP-Brasil), Emma Torres (UVigo), Carmen Costa (UdC), Enrique Castelló (USC)
Análise e reflexão sobre as novas formas de comunicação corporativa e publicitária, atendendo aos novos canais e suportes, às estratégias que as colocam em andamento, assim como aos resultados conseguidos. Unha olhada nos atores sociais que comunicam (empresas, instituições, partidos políticos, associações…) e nos processos de relação com seus públicos. Novas propostas, comunicação na Rede e comunicação multimídia.
Linhas de trabalho:
- Estratégias de comunicação
- Comunicação de Crise. Comunicação de Riscos
- Comunicação empresarial e institucional
- Redes sociais e comunicação corporativa
- Reputação 2.0 e estratégia digital
- Publicidade e novas alternativas
Teoria e métodos de pesquisa (DTI 4)
Coordenação: Miguel Silva (U.Porto-Portugal), Raúl Fuentes (Iteso- México), Lucrécia  Ferrara (PUCSP- Brasil)Richard Romancini (USP-Brasil)
Desafios metodológicos que formulam os novos territórios e os novos fenômenos de um mundo em mutação. Reflexão metodológica sobre as experiências derivadas do trabalho pesquisador: obstáculos e renúncias com os quais se confronta a prática da pesquisa.
Linhas de trabalho:
- Avaliação metodológica da pesquisa empírica sobre comunicação. Desenhos metodológicos para pesquisas empíricas.
- Novos desenvolvimentos nas técnicas, ferramentas e procedimentos quantitativos e qualitativos.
- Experiências de trabalho de campo.
- Problemas e possibilidades dos métodos de pesquisa participativa.
- Aproveitamento e limitações das estratégias de triangulação metodológica.
- Propostas metodológicas para a abordagem empírica do cibermundo.
- Recursos e políticas de ajuda à pesquisa empírica sobre comunicação e cultura.
- Práticas e métodos ao redor das epistemologias do Sul
Educomunicação (DTI 5)
Coordenação: Marcelo Martínez (USC), Adilson Citelli (USP – Brasil), , Gabriel Kaplun (U. de la República-Uruguay), Lucía Castellón (U. Mayor-Chile)
A Educomunicação como eido de pesquisa interdisciplinar que transcende os limites entre educação e comunicação para gerar espaços de encontro e trabalho compartilhado, seja desde a análise reflexiva, ou desde algum tipo de atividade criativa, mais além de um ato de alfabetização, sendo uma ação comprometida com um indivíduo, os demais e o contorno.
As linhas propostas para o debate são as seguintes:
- Os projetos educomunicativos como ferramentas de transformação social e dinamização comunitária: processos e produtos.
- A aquisição de competências comunicativas desde uma perspectiva crítica: vias de participação e tomadas de decisões.
- Metodologias de intervenção e aprendizagens significativas: vivencialidade na ação educomunicativa.
- Pré-alimentação e inteligências múltiples na educomunicação: a emocionalidade do fazer humano.
Os discursos da comunicação: migrações, gênero, movimento cidadão (DTI 6)
Coordenação: Aimée Vega Montiel (UNAM – México), Cicilia Peruzzo (UNESP-Brasil), Conceição Lopes (U. de Aveiro-Portugal)Olga Osorio (UdC)
Nas ações de apropriar-se e democratizar a comunicação como bem comum, frente à deslegitimação e o cercamento do poder hegemônico dos espaços de comunicação e de representação social e cultural, reativam-se cosmovisões, saberes e fazeres, crenças, formas de organização, redes sociais e cidadãs, formas de narração e expressão, formas de ser e de estar,… próprios do convívio e da cotidianidade nas culturas e da mobilização política e de classe. O DTI pode atender, portanto, as seguintes linhas:
- Cultura popular e comunicação: memória, transferência, expressão e apropriações da comunicação  no altermundismo e na diversidade.
- A ação comunicativa e organizativa nos movimentos sociais e culturais na Ibero-América.
- Estereótipos e deslegitimação dos grupos sociais e culturais na Ibero-América: poderes hegemônicos, processos de cidadania e meios de comunicação.
- Resistência e transformação das culturas e dos povos frente à hegemonia comunicativa.
- Convivência, cotidianidade e narratividade nas sociedades e culturas ibero-americanas.
- Ibero-América e a democratização comunicativa.
Estudos Cinematográficos e Audiovisuais (DTI 7)
Coordenação: José Luis Castro de Paz (USC), Gustavo Aprea (UBA- Argentina), Vitor Reia (U. do Algarve-Portugal)Renato Luiz Pucci Junior (UAM-Brasil)
Análise e estudo do cinema e do audiovisual, aprofundando-se nas suas transformações presentes e na sua função identitária. Entre outras entradas, propõem-se as seguintes:
- Criação de conteúdos, formatos e tecnologia
- Mudanças na programação, acessibilidade e o novo papel das audiências na rádio e na televisão.
- A análise fílmica a partir dos contextos históricos e sociais nos quais os filmes são produzidos.
- A autoria e os cinemas nacionais.
História da Comunicação e dos Meios (DTI 8)
Coordenação: Alberto Pena (UVigo), Xosé Ramón Pousa (USC), António Holdlfeld (PUCRS-Brasil), Eduardo Gutiérrez (U. Javeriana, Cali- Colombia)
- Estudo histórico dos emissores, suportes, receptores e mensagens da comunicação social em qualquer das suas dimensões de caráter geral. Perspectiva, política, social, cultural ou econômica. Os grandes modelos discursivos: informativo, publicitário ou propagandístico. Dinâmicas de interação entre os meios de comunicação, as fontes e os públicos.
- Estudo da evolução histórica das empresas, das tecnologias e dos públicos da comunicação nos diferentes países e territórios. Experiências e inovações metodológicas, historiografias nacionais e internacionais e novas fontes e abordagens científicas.
- História da comunicação através dos suportes audiovisuais: Cinema, Rádio, Televisão, Mídia digitais.
- Histórias de caráter transversal: História da Comunicação, História da Imprensa, História da Cultura e da Mídia.
GRUPOS TEMÁTICOS
Coordenador: Xosé Rúas (UVigo)
O Congresso abre uma linha destinada a grupos de pesquisa que poderão fazer propostas relacionadas com seus âmbitos de estudo, com o fim de incluí-los como capítulos específicos do livro que será editado após sua celebração.
Cada grupo terá que indicar título, mesa temática na qual solicita a inscrição como moderador/a dos resumos e comunicações propostas, consorte os requisitos de matrícula e normas de estilo indicados nas bases do Congresso. São necessários um mínimo de cinco comunicações procedentes de dois países ou centros para sua aprovação e apresentação.
As propostas de grupos, títulos, moderadores/as e comunicações associadas serão enviadas por email a xoseruas@gmail.com, nos mesmos prazos que regem para o “call for papers”. Tão logo sua aceitação seja confirmada, será pago o valor de 100 euros por grupo, mais o pagamento da inscrição estabelecida para cada assistente ao Congresso.

DIRETORIA (2012-2015)
  • Presidente: Maria Immacolata Vassallo de Lopes (Brasil) Universidade de São Paulo
  • Vice-Presidentes:

- Margarita Ledo (Espanha) Universidad Santiago de Compostela
- Carlos Arroyo Gonçalves (Bolívia) Universidad Católica Boliviana San Pablo
- Margarida Kunsch (Brasil) Universidade de São Paulo
- Secretário Geral – Luís Humberto Marcos (Portugal) Instituto Superior da Maia




Nenhum comentário:

Postar um comentário