quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Comunicação é aliada para promoção do desenvolvimento da Bomba do Hemetério



“Bom dia, amiguinhos. Está no ar o programa Universo Infantil, curtindo a infância tintim por tintim. Eu sou a Manuka Borba! Vamos animar esta manhã de sábado?”. A mensagem ecoa todos os sábados, às 11h, pelas ruas da Bomba do Hemetério, no Recife. É um convite para as crianças do bairro acompanharem de perto mais um programa da rádio comunitária Seu Hemetério, comandado pela adolescente Emanuele Borba, a Manuka, de 13 anos. 
Com uma animação pra lá de contagiante, a estudante fala ao vivo em seu programa semanal sobre os direitos e deveres presentes no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), traz dicas sobre atividades culturais gratuitas para a criançada aproveitar com a família, além de ler contos e fábulas e, é claro, tocar muita música infantil. “A proposta do programa é levantar o astral dos pequenos moradores e mostrar que ser criança é muito bom”, ressalta Manuka, que conta com o apoio da ex-professora Josely Nunes para produzir o programa.
A adolescente, que já brincava de fazer programas de rádio com as amigas desde os 8 anos, conta que descobriu na Rádio Seu Hemetério o poder que a comunicação pode ter numa comunidade. “Todo mundo tem o direito de se comunicar. E este é um dos fatores mais importantes na formação pessoal: saber dialogar”, ensina a pequena comunicadora.
Esta tem sido a aposta do programa Bombando Cidadania no bairro: trazer a comunicação como fator de articulação, agregação e promoção do desenvolvimento local. As atividades nessa frente de ação tiveram início em 2010, com o apoio do Instituto de Assessoria para o Desenvolvimento Humano (IADH), e a criação do Núcleo de Comunicação Comunitária. 
Desde então, o Núcleo tem promovido diversas ações, como diálogos sobre comunicação no bairro, visitas aos veículos de comunicação locais, além de oficinas de capacitação em rádio, que sempre tiveram muita procura por parte dos moradores. Com as atividades, os participantes puderam aprender sobre a história da comunicação, a legislação da área e técnicas para a produção de programas de rádio. 
Patrícia Paixão, consultora do IADH responsável pelo eixo de comunicação do Bombando Cidadania, destaca que a ideia principal é mostrar a importância da comunicação como aliada da promoção, proteção e reparação dos direitos humanos. “A proposta é dar voz e vez ao público local, que é invisível para a grande mídia. Estes veículos só vão à periferia para mostrar situações de grande violência. Dificilmente os moradores são procurados pela imprensa para apresentar as ações criativas que desenvolvem”, destaca.
Por isso, a proposta é valorizar a cultura regional e as temáticas locais. “A cultura jorra em cada esquina da Bomba do Hemetério e é pela comunicação que passa a reafirmação dos valores e da identidade. Lutamos para a reafirmação deste espaço da comunicação comunitária, da valorização de uma comunicação diferente”, comenta a consultora.
Atualmente, o Núcleo conta com 17 “agentes de comunicação” moradores do bairro, que se reúnem todas as quartas-feiras à noite para discutir as ações que serão realizadas. Aos sábados, é dia de formação continuada, com a participação de especialistas e convidados, para a discussão de temáticas relevantes à comunidade, como as questões de gênero, liderança, direitos humanos, violência, entre outras.
Rádio poste
A grande aliada do Núcleo de Comunicação para o fortalecimento da comunicação comunitária tem sido a Rádio Seu Hemetério, que completou em outubro um ano no ar, com direito a uma grande festa para as crianças do bairro (veja matéria). Atualmente a rádio conta com nove programas - Balaio de Feira, Elas por Elas, Universo Infantil, Bombando Dia, Conexão Jovem, Bombando Emoções, A Voz do Pascoal, Som das Américas e Interpreto - que vão ao ar em dias e horários alternados, das 8h às 19h, por meio de caixinhas de alto faltante espalhadas pelos postes no bairro.
A programação é bem variada a fim de atingir todos os moradores da Bomba. Se no programa da Manuka o público principal são as crianças, no Elas por Elas, a proposta é falar diretamente com as mulheres, trazendo informações sobre saúde, bem-estar e direitos. Patrícia Oliveira, que é produtora e apresentadora do programa com Jocely Nunes, conta com o apoio da Secretaria da Mulher do Estado de Pernambuco para produzir o conteúdo. Além de terem participado de uma capacitação sobre questões de gênero, elas recebem periodicamente diversos materiais a respeito.
Advogada na área civil e trabalhista, Patrícia conta que se descobriu uma verdadeira “comunicadora” durante as oficinas e hoje se identifica muito com o trabalho realizado pelo Núcleo. O envolvimento tem sido tão intenso que a moradora da Bomba também se tornou coordenadora de Patrimônio da Rádio Seu Hemetério e tem colaborado com o IADH em questões relacionadas ao direito e ao terceiro setor.
Na avaliação da gerente do Instituto Walmart Adriana Franco, o empoderamento da comunidade foi um dos grandes resultados alcançados por este trabalho de comunicação comunitária. “O grande diferencial é justamente a comunidade falando sobre e para a própria comunidade. São os próprios moradores convocando os demais para as questões locais do seu bairro. Às vezes, são coisas que parecem irrisórias se pensarmos na grande mídia, mas ali têm muito significado.” 
Hoje, é por meio da rádio que o programa Bombando Cidadania convoca a comunidade para as diversas atividades que estão sendo realizadas. Os moradores também aproveitam o veículo de comunicação local para divulgar informações, como uma nova aula de dança que vai começar no bairro e precisa de apoio para as inscrições, ou até mesmo anunciar um documento de identidade perdido nas ruas da Bomba.
A comunicação extrapola também o bairro e vai para internet. O Núcleo conta com outros veículos de comunicação para levar informação aos moradores, como o Twitter (@NucleoBombando), uma página no Facebook  e um blog.
A próxima etapa será levar a Rádio Seu Hemetério também para a web, a fim de que os conteúdos dos programas estejam disponíveis em qualquer parte do mundo. “Estamos concluindo a primeira reforma estrutural para investir nas novas ferramentas e viabilizar a transmissão em tempo real. Estamos muito motivados com essa nova fase”, frisa Patrícia Paixão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário