segunda-feira, 4 de março de 2013

Escola no Combate ao Trabalho Infantil abre inscrições para novas turmas


A partir do dia 04 de março, estarão abertas as inscrições para as novas turmas do curso A Escola no Combate ao Trabalho Infantil (ECTI). O objetivo é oferecer aos participantes um aprimoramento dos conhecimentos sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e abordar a importância do papel da escola nas ações de combate ao trabalho infantil. As atividades serão virtuais. Qualquer educador de escola pública poderá se inscrever e participar.

Outro objetivo geral do curso é contribuir com a efetivação da Lei 11.525, que, desde 2007, incluiu no currículo do ensino fundamental conteúdos que tratem dos direitos da criança e do adolescente. A proposta é que a capacitação, que contará com a mediação de especialistas em educação e em temas relacionados ao Estatuto, ajude a fortalecer uma cultura de respeito aos direitos humanos nas escolas participantes, especialmente no que diz respeito ao trabalho infantil no Brasil.

“Existe em nossa sociedade uma aceitação do trabalho infantil, uma cultura de que o trabalho é um benefício para a criança”, afirmou o coordenador do curso Propercio Rezende. Por isso, a contribuição para a diminuição dessa postura por parte sociedade seria também uma das principais diretrizes do curso. “A ideia é mudar essa percepção”, complementou o coordenador.}

O curso é composto por seis módulos e pretende transformar os educadores participantes em produtores de material sobre o tema; também será possível compartilhar materiais, experiências e dúvidas tanto na plataforma de educação à distância como no site Promenino Fundação Telefônica. Para isso estão disponíveis diversas ferramentas de educação a distância, como vídeo aulas, fóruns, chats e comunidades de amigos.

Aos participantes aprovados no curso, será emitido certificado de participação da Faculdade FIA de Administração e Negócios, mantida pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Para obter a certificação, o aluno deve ter desempenho igual ou superior a 70% nas avaliações online dos 6 módulos.

Resultados

Ao final da primeira turma, em 2012, os educadores aproveitaram o conhecimento adquirido com a capacitação e realizaram atividades junto aos seus alunos sobre os perigos da exploração do trabalho infantil a importância da garantia dos direitos infantojuvenis. Foram produzidos cartazes, leituras, debates e, até mesmo, vídeos.

É o caso da professora Milena Barcelos, da escola rural Casa Familiar Rural do município de Santa Maria do Oeste, no Paraná. Ela produziu um vídeo sobre os males da prática do trabalho infantil no Brasil e África, além da importância do combate. “A disciplina que leciono em minha escola não é de humanas, o que impossibilitou apresentá-lo durante as aulas. Por isso, divulguei o vídeo em meu blog. Muitos alunos e professores assistiram. Não esperava tanta repercussão”, conta Milena.

Assista ao vídeo, clique aqui.
 
Outras atividades influenciaram diretamente na atitude dos alunos. “Antes eles viam o trabalho como solução, e hoje veem como um problema”, contou a professora Francimary Martins Timbo da escola EMEIF Frei Lauro Schwarte localizada em Fortaleza, no Ceará. Foi a partir do curso que a educadora reviu sua visão em relação ao trabalho infantil, realizou uma séria de medidas na escola em que trabalha e obteve resultados positivos com os alunos e os familiares. “Hoje eles me avisam quando alguém está trabalhando, com a certeza de que isso não pode acontecer”, explica.


Histórico

O curso ECTI foi criado em 2012 e é uma iniciativa da Fundação Telefônica, em parceria com o Centro de Empreendedorismo Social e Administração em Terceiro Setor (Ceats) da Fundação Instituto de Administração (FIA)*. A primeira turma contou com a inscrição de 6 mil educadores de todas regiões do país.

O ECTI é inspirado no antigo curso ECA na Escola, criado em 2009, que capacitou aproximadamente 11 mil educadores. Em 2012, o curso passou por uma reavaliação já que a Fundação Telefônica adotou o combate ao trabalho infantil como objetivo geral. “ O conteúdo do curso continua abordando a questão dos direitos da criança e do adolescente, mas com foco voltado para o trabalho infantil”, explica Propercio Rezende.

Inscrições

Serão disponibilizadas até 6.500 vagas para as novas turmas, tendo prioridade de inscrição educadores das regiões Norte e Nordeste. A plataforma a distância do curso estará disponível aos participantes no dia 21 de março e as primeiras atividades no dia 2 de abril. Para se inscrever e saber mais informações sobre o curso, acesse o site www.promenino.org.br/ecti.

*A Fundação Instituto de Administração – FIA – é uma entidade privada sem fins lucrativos estabelecida em 1980 por iniciativa de professores do Departamento de Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - FEA/USP.
Fonte: Pró-Menino

Nenhum comentário:

Postar um comentário