quinta-feira, 25 de abril de 2013

O uso de webquest no currículo de Arte


Ao centro a autora, à esquerda a avaliadora do trabalho (Profa. Me.
Carmen Gattás) e à direita a orientadora (Profa. Me. Cristiane Parente)


Por Virginia Lucia Cenamo*

A pesquisa consistiu na investigação do uso da webquest como possibilidade de obter maior envolvimento dos alunos do 9º ano do Colégio Sion de Arujá-SP. Teve início com a preocupação pela desmotivação dos alunos nas aulas de Artes e a necessidade de cativá-los com a procura de um novo método que os envolvesse nos estudos. Dentre as mídias utilizadas na educação, foi escolhida a webquest, por utilizar informações da internet e priorizar o trabalho compartilhado e direcionado. 

A sequência do trabalho foi realizada em três etapas: 

  • Um primeiro questionário buscando o conhecimento prévio dos alunos sobre webquest e sobre a visão dos mesmos de outros trabalhos feitos em grupo e na internet.
  • A aplicação de uma webquest, especialmente feita para eles, seguindo a sequência da estratégia construtivista da escola (com conteúdo e material da Rede Pitágoras) sobre o tema: A Interatividade nas Artes.
  • Um segundo questionário indagando sobre suas opiniões, quais foram para eles os resultados negativos e positivos do método, após o trabalho.

No início a maioria dos alunos foi motivada pelo desconhecido, pelo prazer do novo. Durante um mês da realização deste trabalho foi verificado um bom aprendizado, ainda com interesse, pelo acompanhamento e direcionamento nas pesquisas. No final, um resultado não totalmente completo como o aguardado, mas no geral, foi observado o empenho dos alunos e os efeitos esperados na construção de seus conhecimentos.

Conclui-se que com uma readequação, a cada nova aplicação de uma webquest, os resultados poderão ser cada vez melhores. Pelo fato de ter sido um trabalho direcionado especialmente para as necessidades desses alunos, essas modificações são viáveis, diferente de quem usa as webquests que estão disponibilizadas na net, mas que também são interessantes de aplicar. Se tivesse tido mais tempo, teria os acompanhado na feitura da montagem final no power-point, mudaria essa etapa na próxima vez.

Pretendo passar esta experiência para todos os gestores e professores do colégio, para que possamos utilizar mais as ferramentas que temos em mãos e que agradam tanto aos alunos.

Para a concretização da pesquisa passei por uma grande dificuldade, que foi o tempo disponível com os alunos. Os motivos foram: as poucas aulas semanais da disciplina; o ano passado, que tivemos um caso atípico em novembro, pelo grande número de feriados durante a semana; e, ainda, as aulas de Arte que também são ocupadas 50% com eventos comemorativos da escola, e que me impossibilitaram de completar a pesquisa nessa época. Neste ano, tive somente o mês de fevereiro para realizá-la, pois a entrega seria em março.

Enfim, apesar do tempo curto, o trabalho foi realizado e, com certeza, me ajudou a explorar melhor essas necessidades de mudanças no ensino, podendo aperfeiçoar meu empenho como docente. Consegui viabilizar com a pesquisa, essa nova visão, que o curso Mídias na Educação me incentivou buscar.

Para os que realizam a monografia do curso, aconselho calma, paciência e perseverança. Não conseguimos nada sem trabalho árduo, mas passo a passo ele vai criando forma e nos envolve, torna-se um novo filho, que vamos cuidar para sempre!

* A autora do texto realizou sua monografia O uso de webquest, no currículo de Arte, no 9º ano do Colégio Sion - Arujá/SP, com a orientação da professora mestre Cristiane Parente, e o trabalho foi defendido no dia 20 de abril.
Fonte: Blog Mídias na Educação (http://blog.midiaseducacao.com/2013/04/midias-na-educacao-relatos-de-pesquisa_5124.html)

Nenhum comentário:

Postar um comentário