segunda-feira, 15 de abril de 2013

Petista diz que 80% do conteúdo de rádio e TV deveria sair do ar


O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), defendeu a regulação da mídia e disse que "mais de 80%" da programação de rádio e TV teria que sair do ar se a Constituição fosse respeitada.
"Se esses artigos fossem aplicados de maneira séria, provavelmente mais de 80% dos programas que estão nas rádios e principalmente nas televisões teriam de sair do ar", disse anteontem o governador, em referência a itens do artigo 221 da Constituição Federal, que trata da programação das emissoras de rádio e televisão.
"São programas que ou transformam a mercadoria em notícia ideologizada ou promovem a violência, o sexismo e a discriminação", disse durante evento organizado por sindicatos e movimentos sociais em Porto Alegre.
O governador defendeu uma reforma constitucional para regular os meios de comunicação e impedir que "meia dúzia de famílias" tenha o controle do setor.
Em meio a articulações internas no PT para disputar a presidência da sigla, Genro defendeu o governo na cobertura de casos de corrupção.
"A culpa é sempre do Estado. É um processo que não tem sujeito. Quem leva para dentro do Estado o vírus da corrupção é a iniciativa privada."
Presidente petista durante o auge da crise do mensalão, em 2005, Genro também disse que o STF (Supremo Tribunal Federal) foi influenciado pela imprensa ao julgar o caso.
"Eles [os réus] já foram condenados por antecipação. Foram condenados pela mídia e o Supremo adotou a posição."
Fonte: Folha de S. Paulo  Poder – 10/04/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário