quarta-feira, 3 de julho de 2013

Manifestantes não deixam repórteres da Rede Globo cobrir atos no Rio, São Paulo, em Londres...o que isso significa?

Colocamos abaixo apenas alguns dos vídeos que mostram a Rede Globo, representada por seus repórteres, sendo hostilizada em manifestações pelo país e fora dele. A ideia é estimular uma reflexão sobre esse movimento de repúdio em relação à emissora. 
Vale à pena discutir o porquê de estar acontecendo (e neste momento) e como fazer para que demandas da população - como por exemplo uma mídia mais democrática e plural no país - alcancem êxito. 



Manifestação pelos mortos na Favela da Maré, no Rio, mortos por policiais.



Jornalistas da rede Globo foram hostilizados e impedidos de entrevistar os participantes das manifestações de Londres em apoio ao Brasil. Marcos Losekann tentou intimidar um manifestante mais exaltado, mas retrocedeu ao perceber que a maioria apoiava o último. Uma outra jornalista da Globo News, Ana Carolina, também não conseguiu realizar sua matéria, sendo aconselhada por manifestantes a deixar a empresa onde trabalha para assim poder exercer livremente suas funções. O grupo se reuniu por alguns minutos, tempo em que Marcos aparentemente transmitiu sua entrevista via celular. Visivelmente desconfortáveis com a situação, o grupo não quis dar entrevistas e deixou o local.




O jornalista Caco Barcellos da rede globo de televisão foi hostilizado durante à Marcha da Liberdade Caco realizava uma reportagem para o profissao reporter, os manifestantes gritavam "ei, globo vai toma no cu!" e "O povo não é bobo, fora rede globo!" no final ele abandonou a reportagem junto com sua equipe alem da rede globo os manifestantes. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário