terça-feira, 17 de setembro de 2013

Estudantes de Educomunicação da UFCG produzem vídeo contra exploração do trabalho infantil

Exploração do trabalho infantil

Alunos do curso de Educomunicação da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) produziram uma propaganda social de conscientização sobre a exploração do trabalho infantil. As cenas mostram crianças em situação de exploração em vários pontos da cidade, como a Feira Central, a praça em frente ao Capitólio, a Praça da Bandeira e locais próximos à universidade.

"Apesar de já termos apresentado o trabalho para a disciplina de Linguagem Publicitária nos Espaços Educativos, gostaríamos que mais pessoas tivessem acesso a esse material, já que ele tem o objetivo de mostrar que casos de exploração do trabalho infantil acontecem bem próximo da gente e às vezes não percebemos. É importante motivar a sociedade a denunciar este tipo de crime", comenta Felipe Valentim, que produziu o vídeo "Trabalho Infantil Não é Bricadeira" com as colegas de curso Anny Karenine, Gabriela Ferreira, Lharysza Sthefanny e Vivían Lima.




Observação do nosso blog: Aproveitar temas sociais para realizar campanhas em cursos de Pedagogia e Comunicação (Jornalismo, Publicidade, Cinema, RP, Rádio e TV), por exemplo, é uma atividade extremamente rica tanto para o professor, quanto para os alunos e mais ainda para a sociedade, quando o produto final ultrapassa os muros da universidade e consegue chegar à população, levando reflexão e informação. Fazemos apenas uma observação sobre o vídeo acima, em relação ao uso da tarja preta na criança que trabalha. Não se tem mais utilizado esse recurso por causa da estigmatização que ele pode causar. Ou seja, a tarja preta gera a sensação de que quem está por trás dela é alguém que cometeu um ato infracional, é marginal. O ideal é usar outro recurso visual para não mostrar o rosto das crianças/adolescentes em situação de constrangimento, segundo o ECA.

Fonte: http://www.grandecampina.com.br/2013/09/estudantes-de-campina-produzem.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário