quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Teaching Kids Media Literacy

By Rowntree Montessori Schools (29/01/2014)
Throughout the month of October, our grade 5 students learned about Media Literacy. Media, which is defined as “the ways in which people communicate with each other”, can include a variety of things from books and magazines, to music and movies, to texting and websites. A survey conducted by the Media Awareness Networkin November 2005 found that 86% of kids from grades 4 to 11 have an email account (most being free services, such as Hotmail), and 94% of survey respondents have internet access at home. Most kids today have grown up never knowing a world without computers or social media. Therefore, media Literacy is a critical area of study for students today.
The grade 5 students spent the month discussing various forms of media, advertising techniques, and the implications of media on people, such as the harmful effects of stereotyping. Our students had a great time discussing healthy and unhealthy media and making good media choices. We discussed the impact video games have on young people, paying special attention to violent games such as Grand Theft Auto and Call of Duty, and why they may or may not be appropriate.
A Grade 5 RMS student's Media Awareness Poster stating "Don't Believe What You See On Media!"
As our culminating activity, students were asked to make a Media Awareness Poster to put up around the school to teach others what they have learned.
They used the advertising techniques we studied as well as their knowledge of the elements of art to produce an eye-catching design. There was a lot of creativity, imagination, and sound messages put into these posters. I’m so proud of them!
-Submitted by one of the RMS Grade 5 teachers.
http://rowntreemontessori.com/2014/teaching-kids-media-literacy/

Apresentação pública da operação ‘7 Dias com os Media 2014’ acontece dia 7 de fevereiro em Lisboa

O Grupo Informal de Literacia para os Media (GILM) decidiu repetir a operação ‘7 Dias com os Media' em 2014, tendo agendado uma sessão pública de apresentação do projeto para o próximo dia 7 de fevereiro (14h30), no Palácio Foz (Lisboa). 

O GILM, que é constituído pela Comissão Nacional da UNESCO, Conselho Nacional de Educação, Direção-Geral da Educação, Entidade Reguladora para a Comunicação Social, Fundação para a Ciência e Tecnologia - Sociedade da Informação, Gabinete para os Meios de Comunicação Social, Rádio e Televisão de Portugal, Rede de Bibliotecas Escolares, e Universidade do Minho - Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade pretende, interpelar quem entender associar-se ao projeto, no sentido de estimular a organização de iniciativas dedicadas à liberdade de imprensa, ou a outra dimensão do universo mediático, de forma a contribuir para que a Operação ‘7 Dias com os Media 2014' constitua mais um marco na elevação do nível de literacia mediática da população portuguesa. (Fonte: Comunicação/UMinho/CECS)

Site da operação Sete Dias com os Media - 2013 http://www.literaciamediatica.pt/7diascomosmedia/apresentacao

Iº Seminário Iberoamericano de Estudos e Pesquisas em Comunicação e Moda: Estéticas Contemporâneas - SIACOM recebe propostas de artigos


Iº Seminário Iberoamericano de Estudos e Pesquisas em Comunicação e Moda: Estéticas Contemporâneas - SIACOM, que acontece em Braga/Portugal, nos dias 11 e 12 de abril de 2014, recebe propostas de artigos até o dia 16 de fevereiro.

A notificação de aceitação será no dia 10 de março e o prazo para envio do artigo integral entre os dias 11 e 28 de março. As línguas oficiais do evento serão português e espanhol.

A organização do seminário é da Associação Brasileira de Estudos e Pesquisas em Moda (ABEPEM) e do Centro de Pesquisas Sociossemióticas (CPS - PUC/SP) que pretendem promover um debate sobre as mudanças relativas ao pensamento estético no contexto da cultura contemporânea e à sua tradução em novas práticas, formas e possibilidades imagísticas no campo da moda.O dia 11 será dedicado à apresentação e discussão de comunicações e, o dia 12 à realização de worshops.

Informações: http://www.comunicacao.uminho.pt/upload/docs/SIACOM_2014_Chamada_de_trabalhos.pdf

É na canção popular brasileira que melhor se vê a libido da língua portuguesa

Será o português uma língua boa para a criação? Colóquio na Fundação Gulbenkian juntou durante dois dias escritores, músicos, actores, encenadores, teóricos e programadores para responder a esta e outras perguntas.
Lucinda Canelas - Público 30/01/2014


O que pode uma língua? Para uns tudo, para outros nada (pelo meio fica Nuno Artur Silva, fundador da agência Produções Fictícias, a garantir que “haveria tanto a dizer sobre o assunto e os seus múltiplos sentidos…”). No colóquio de segunda e terça-feira, em Lisboa, a Fundação Calouste Gulbenkian juntou profissionais de várias áreas, da música à literatura, passando pelo teatro, a dança e o cinema, sem esquecer os programadores, para debater as potencialidades criativas da língua portuguesa. O que é que só se pode dizer em português? Esta é uma língua estranha para quem compõe? Que dificuldades enfrenta quem a traduz? E como explicar a um americano que uma palavra pode ter muitos sentidos lá dentro?

Para quem trabalha a língua portuguesa, seja para escrever livros ou canções, ela é sobretudo um referente cultural, uma ferramenta de trabalho ou, como defende o escritor Mário de Carvalho, um reservatório de memória e tradição, como a própria literatura. “A memória também está nas palavras porque elas transportam uma história, carregam o grego e o árabe”, explicou no painel dedicado à criação literária, em que estiveram também o tradutor americano Richard Zenith, Nuno Artur Silva ou o cabo-verdiano Germano de Almeida.

Foram precisamente estes dois últimos que extremaram posições a partir do tema do colóquio, directamente saído da canção Língua, de Caetano Veloso (“O que pode uma língua?”). O primeiro, ligado sobretudo ao audiovisual, defendeu que o português nada pode se sobre ele não formos capazes de construir mitos: “A língua [portuguesa] é o território, não é a pátria. Essa está nos mitos, no imaginário, nas pessoas que se emocionam com o mesmo que nós.” Sem esse “imaginário” será um instrumento pouco útil, mesmo que seja a mais falada do hemisfério sul. Já o autor de O testamento do Sr. Napumoceno da Silva Araújo e de As memórias de um espírito encontra na língua portuguesa uma “fonte de riqueza” que nas suas ilhas se mistura com o crioulo. “Na minha casa o meu pai falava em português e minha mãe em crioulo. Eu nasci bilingue e quando cresci fiquei abismado ao descobrir que havia cabo-verdianos que não [o] eram”, explicou, dizendo que escreve em português sobre uma realidade e uma cultura que é a de Cabo Verde – a sua.

Para Germano de Almeida, conferencista transformado em contador de histórias para explicar que a língua portuguesa lhe é tão importante que chegou a acabar um namoro porque alguém lhe escreveu num papel “penço em ti” – “como poderia eu continuara a namorar uma mulher que escrevia ‘penso’ com ç?” -, o português é uma “ponte entre culturas”. Admitindo que o usa para escrever porque lhe é natural fazê-lo e lhe permite chegar a uma audiência mais vasta, mesmo quando isso lhe vale muitas críticas no seu país, o autor continua a defender o crioulo como “língua de intimidade”, feita para “trazer no dia-a-dia”: “O cabo-verdiano namora em crioulo. Não passa pela cabeça de um cabo-verdiano dizer ‘amo-te’ a uma mulher. ‘Amo-te’ é uma palavra violenta…”

Riqueza de sentidos
Palavras “violentas”, “formais”, uma “maneira de falar que fecha as vogais” e torna mais presentes as consoantes que, para um estrangeiro, são difíceis de dizer. Uma língua que resulta de “uma longa decantação”: “O português de Portugal pode ser uma língua dura, difícil. O do Brasil amacia-o, como o africano. Muda-lhe os ritmos e as entoações, junta-o às línguas indígenas para criar uma espécie de irradiação atlântica”, diz ao PÚBLICO José Miguel Wisnik, autor, compositor e professor de Literatura da Universidade de São Paulo, convidado do painel moderado pelo musicólogo Rui Vieira Nery.


“O português que se fala aqui é mais gutural, cria uma série de percussões surdas. O do Brasil estabiliza as vogais, o que deixa que as sílabas durem - é como uma orquestra em que se ouvem as cordas e os sopros”, explica o músico que também compõe para cinema, teatro e dança. “Mas todas as línguas inventam um modo de dizer.”

Leia mais em: http://www.publico.pt/cultura/noticia/e-na-cancao-popular-brasileira-que-melhor-se-ve-a-libido-da-lingua-portuguesa-1621591

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

"Canción para un niño en la calle"

Alfabetização mediática



Vídeo de 2010 

Conteúdos sobre comunicação, educação, educomunicação...

O vídeo é de 2012, mas sempre vale a pena divulgar as revistas Comunicar e Aulária, cujos conteúdos são extremamente importantes na reflexão sobre a inter-relação Comunicação-Educação e a Educomunicação. Abaixo, Enrique Martínez-Salanova, vice-presidente do grupo espanhol Comunicar, fala das duas publicações no programa "La Aventura del Saber", da RTVE, de 28 de março de 2012.



segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Learning at Home: Families’ Educational Media Use in America


Percepção dos pais sobre educação para a mídia; materiais para crianças aprenderem mais sobre os meios de comunicação; relação de pais e filhos com a mídia; como educadores, decisores púbicos e pais podem entender a educação midiática; sugestões de uso de mídia conforme a idade das crianças são alguns dos tópicos da publicação (fruto de uma pesquisa) "Learning at Home: Families’ Educational Media Use in America", lançado pelo Joan Ganz Cooney Center este mês. 

Para acessar a pesquisa:
http://www.joanganzcooneycenter.org/wp-content/uploads/2014/01/jgcc_learningathome.pdf

Educação e Tecnologia: desafios e possibilidades



último número da Revista Eletrônica de Educação (Vol.7, nº 3, de 2013) do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos tem como tema "Educação e Tecnologia: desafios e possibilidades". Entre os temas dos artigos, o uso das tecnologias digitais por crianças e jovens em situação educativa, letramento matemático e os recursos tecnológicos na alfabetização. Acesse em: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/issue/current

Isabora Faber defende uso de tecnologias na educação

Isadora Faber, 14 anos, criadora da página do Facebook "Diário de Classe", na qual comenta fatos relacionados à escola e cobra qualidade na educação, falou no evento TED promovido pela Unisinos. A estudante defendeu o uso de tecnologias na educação. 

O evento, TEDxUnisinos, aconteceu no Teatro do Bourbon Country, em Porto Alegre, no sul do Brasil, no dia 31/10/2013. Mais informações em: www.tedxunisinos.com.br
Veja o vídeo abaixo:

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Especialização em “Educomunicação: Comunicação, Mídias e Educação”, da USP, abrirá inscrições em fevereiro

Estarão abertas entre 17 e 28 de fevereiro de 2014, as inscrições para a seleção do curso de especialização “Educomunicação: Comunicação, Mídias e Educação”, da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo.

São 60 vagas ao todo, mas o curso pode funcionar a partir de 30 alunos.

Podem candidatar-se à seleção portadores de diploma de graduação, em qualquer área do conhecimento, obtido em instituições de ensino superior nacionais ou estrangeiras, nos termos da legislação vigente na Universidade de São Paulo. Mais informações no site http://www.cca.eca.usp.br 

O processo de seleção, que consiste de prova escrita, análise do currículo e entrevista, será realizado no período de10 a 14 de março de 2014.

A prova escrita será realizada no dia 10 de março, às 10h, no edifício central da ECA, e constará da redação de um texto dissertativo, cuja temática será indicada pelo examinador no ato da prova. 

A bibliografia de referência indicada é:
Citelli, A. O. e Costa. M. C. C (Orgs.). Educomunicação: construindo uma nova área de conhecimento. São Paulo: Paulinas, 2011 

Comunicação & Educação. Revista do curso Gestão da Comunicação, Ano XVII, n.1 jan/jun, São Paulo: Paulinas, 2012 e Ano XVII, n.2 jul/dez, São Paulo: Paulinas, 2012. 

Os candidatos que obtiverem nota mínima 7,0 (sete) na prova escrita submeter-se-ão à entrevista. O resultado será divulgado no dia 11 de março de 2014, às 13h, no Departamento de Comunicações e Artes, no quadro de avisos do curso. 
As entrevistas classificatórias serão realizadas no período de 12 a 14 de março de 2014, manhã e tarde, no edifício central da ECA, conforme escala afixada no dia 05. Na entrevista serão avaliados o currículo e os objetivos do candidato.

A homologação dos resultados da seleção caberá à Banca Examinadora e sua divulgação se dará no dia 17 de março de 2014.

Os candidatos aprovados efetuarão sua matrícula no período de 18 a 20 de março de 2014. O valor total do Curso é de R$ 13.500,00, a serem pagos em até 18 (dezoito) vezes, no período de março de 2014 a setembro de 2015. 

O Curso tem uma carga horária total de 600 (seiscentas) horas, distribuídas nas modalidades presenciais e semipresenciais, com duração de 18 (dezoito) meses, sendo um deles dedicado à elaboração do projeto de intervenção. As aulas presenciais, cuja frequência mínima é de 85%, serão ministradas às sextas-feiras, das 19h às 23h e no sábado, das 9h às 13h e das 14h às 18h, conforme calendário letivo entregue no ato da matrícula.

Informações poderão ser obtidas junto à Secretaria do Curso de especialização lato sensu “Educomunicação: Comunicação, Mídias e Educação”, do Departamento de Comunicações e Artes da ECA, através do fone: (011) 3091.4341, pelo fax: (011) 3091.4867 ou pelo e-mailgestcom@edu.usp.br. Site:http://www.cca.eca.usp.br/

A fotografia da crise...



André Pais, 21 anos, mostra na série fotográfica "Imóveis da Banca", residências em Portugal deixadas pelos seus donos por causa da crise. São retratos melancólicos de lugares cheios de alma, que tiveram de ser deixados pra trás.
Para ver as fotos, acesse: http://www.behance.net/gallery/Imoveis-da-Banca/5715963





"Imóveis da Banca" é uma "consequência da crise económica e social" que o país atravessa. É também o projecto fotográfico de André Pais, 21 anos, de Almada. Trata-se de um álbum de recordações abandonado à pressa. As dificuldades financeiras chegaram de rompante e as famílias portuguesas deixaram para trás parte das suas vidas. "Devido aos despedimentos, cortes nos subsídios e aumento do custo de vida, muitas famílias declararam insolvência. Segundo dados do Ministério da Justiça, no primeiro trimestre de 2013, seriam 28 famílias por dia", justifica ao P3 André, licenciado em Arte Multimédia, (especialização em fotografia), pela faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. "O mercado imobiliário assistiu nos últimos tempos a uma 'inundação' dos chamados 'Imóveis de Banco' (casas de pessoas que já não podiam pagar o empréstimo ficando o banco com a posse das propriedades). O meu trabalho consiste, portanto, em fotografar o interior destas casas e o que as pessoas deixaram para trás. Quis registar as marcas das pessoas que lá viveram, as marcas do tempo que entretanto passou". 
Fonte: Público http://p3.publico.pt/node/10403 - 14/01/2014

Sabemos consumir e ser media?


Acima, o Programa Nativos Digitais, veiculado na RTP2 em dezembro de 2012 com o tema: Sabemos consumir e ser media? 

Veja abaixo a sinopse do programa e conheça mais sobre ele, segundo seus produtores.
Sinopse: Os media, é consensual, são essenciais a uma democracia. Mas não basta a sua existência, é preciso que exista um consumo esclarecido, para tal, é essencial a educação para os media. O Nativos Digitais ouve especialistas portugueses e norte-americanos sobre a importância da literacia mediática para consumidores e produtores de conteúdos. A grande conclusão é que todos têm a ganhar com um público esclarecido e com sentido crítico. E tudo adquire uma nova importância quando, com as redes sociais, acumulamos o papel de consumidores com o de produtores e distribuidores de informação.

PROGRAMA "NATIVOS DIGITAIS":
Os media atravessam o espaço de toda a vida social e política do país. Mas compreender de onde vêm e para onde vão é uma questão essencial do nosso tempo.
A RTP2, atenta ao compromisso público de explicar que sociedade de informação estamos a construir, lançou Nativos Digitais, um programa para clarificar a partilha de conhecimento através de todas as redes.
Aqui poderão encontrar-se os protagonistas, as empresas, os especialistas e os consumidores finais da nova nuvem de conteúdos.

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Revista Comunicação e Sociedade nº 25 com chamada aberta para trabalhos


A Revista "Comunicação e Sociedade" nº 25 está com chamada de artigos aberta até 15 de março. O tema é “Ética na Comunicação: Velhas Preocupações, Novos Desafios” e a coordenação está a cargo de Joaquim Fidalgo (Portugal-CECS) e Rogério Christofoletti (Brasil). 

A revista é editada pelo Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade - CECS da Universidade do Minho e as línguas oficiais são português e inglês. A notificação da decisão de aceite dos trabalhos será enviada por e-mail até 30 de abril e a data de publicação da revista será em junho de 2014.

Mais informações: http://www.comunicacao.uminho.pt/cecs/
Chamada de artigos completa (português)
http://www.comunicacao.uminho.pt/upload/docs/Call_Ética_na_comunicação_PT.pdf

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Referencial de currículo de "educacao para os media", de Portugal, em consulta pública

Educação para os Media
O Ministério da Educação e Ciência, através da Direção-Geral da Educação, elaborou, no contexto das Linhas Orientadoras de Educação para a Cidadania, lançadas em dezembro de 2012, uma proposta de Referencial de Educação para os Media para a Educação Pré-Escolar, o Ensino Básico e o Ensino Secundário.
Este Referencial está disponível para consulta e discussão pública até dia 7 de fevereiro no link: http://www.dgidc.min-edu.pt/educacaocidadania/index.php?s=directorio&pid=93
A sua consulta pode ser feita através da página web da Direção-Geral da Educação. Os contributos, as sugestões e eventuais questões que pretendam colocar devem ser dirigidos a edu.media.consulta@dge.mec.pt. (Fonte: Min. da Educação e Ciência/ Portugal)

Inauguração do "Máster en Comunicación y Educación" da UAB acontece dia 11 de fevereiro

m_ster_ver_col1_0.jpgEl Máster en Comunicación y Educación (modalidad de estudios presencial), organizado por el Gabinete de Comunicación y Educación de la Universidad Autónoma de Barcelona (UAB), inaugurará su edición XXII el próximo 11 de febrero.
El curso de la modalidad presencial del Máster reúne estudiantes de Perú, Chile, España, Ecuador, China, México, Japón y Venezuela. Periodistas, educadores, comunicadores y profesionales de otros perfiles que confluyen en el ámbito de los estudios de comunicación conformarán el colectivo que cursará esta edición del Máster.
El acto de inaguración tendrá lugar en la Sala de Grados de la Facultad de Comunicación de la UAB. 

Fonte: http://www.gabinetecomunicacionyeducacion.com/agenda/inauguracion-del-master-internacional-de-comunicacion-y-educacion

Informe: Redes sociales para educomunicadores. Recursos y experiencias

Collage_Recursos.jpgLas redes sociales han sido universalmente acogidas entre los usuarios de Internet como una manera comprometerse en eventos, grupos sociales y temas de interés. Estos usuarios han encontrado en las redes un espacio para compartir información, socializar y, en muchos casos, construir verdaderas redes de cooperación y colaboración, un uso que puede ampliarse aún más en la medida en que madure la alfabetización mediática de sus participantes.
Este informe, realizado por alumnos del  Máster Internacional de Comunicación y Educación de la Universidad Autónoma de Barcelona (modalidad on line 2013) recoge los recursos más improtantes que pueden ser utilizados en procesos de aprendizaje, así como algunas experiencias relevantes en el uso de estas herramientas. 
Fonte: http://www.gabinetecomunicacionyeducacion.com/creative-research-forum/informe-redes-sociales-para-educomunicadores-recursos-y-experiencias

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Revista Comunicando nº2 sobre Tecnologias da Informação, Novos Meios e Literacia Digital


Revista Comunicando nº2Já está disponível online a Revista Comunicando n 2, cujo tema é "Tecnologias da informação, novos media e literacia digital". 

A obra, com 333 páginas, possui textos de investigadores-colaboradores do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade - CECS da Universidade do Minho. 

A edição é do GT Jovens Investigadores da Sociedade Portuguesa de Comunicação.

Para acessar: http://www.revistacomunicando.sopcom.pt/edicao/37